Assim como a maioria dos clubes do interior do Brasil, com o advento da chamada Lei Pelé, o Democrata passou a ter grandes dificuldades em formar equipes profissionais e, principalmente, em comercializar jogadores.

Vivendo momentos de altos e baixos na primeira década dos anos 2000, quando saiu da inatividade para chegar à 1ª divisão entre 2004 e 2005, e voltar a cair para a 3ª divisão entre 2008 e 2009, o futebol profissional do Democrata vive uma fase de reconstrução. Depois de amargar o fundo do poço, o Jacaré firmou parceria com o Clube Atlético Mineiro em 2010 e 2011.

Mas foi apenas em 2012 que o time conseguiu o tão sonhado acesso ao Módulo II. Com um time formado por atletas da base e reforçado com atletas experientes da cidade como Adriano Lobinho e Paulinho Guará, o Jacaré fez bonito e conquistou sua vaga. Para tanto, foi necessário brigar na justiça pelo direito de disputar em 2013 uma vaga na elite do futebol mineiro, uma vez que a Federação Mineira de Futebol não reconheceu a classificação do Alvirrubro em cimada Esportiva de Guaxupé.

Observação: Em Minas Gerais a 2ª divisão é denominada módulo II da 1ª divisão e a 3ª é classificada de 2ª divisão.