CARTA ABERTA À FEDERAÇÃO MINEIRA DE FUTEBOL E À COMUNIDADE SETELAGOANA

A diretoria do Democrata Futebol Clube, representada por seu presidente, Flávio Reis, vem a público externar sua indignação pelo comportamento da arbitragem em seus jogos pelo Campeonato Mineiro de Futebol Módulo II 2013.

É lamentável o que vem sofrendo o Democrata nas suas partidas dentro e fora de casa! Não bastassem as dificuldades naturais de se disputar um campeonato extremamente deficitário, especialmente pelas altas taxas impostas pela Federação Mineira de Futebol, o Jacaré, clube dos mais tracionais de Minas Gerais, que completará 100 anos em 2014, vem enfrentando um comportamento agressivo e suspeito dos árbitros.

Na última partida, realizada ontem, 24/03, na Arena do Jacaré, o Democrata começou a ser prejudicado antes mesmo do apito inicial do Sr. Flávio Henrique Coutinho Teixeira, quando este exigiu a presença de 2 médicos, e não 1 como exige o regulamento da competição, para dar início ao jogo.

Resolvida esta situação, o citado árbitro passou a inverter faltas e aplicar cartões de forma injusta, na tentativa de minar a equipe setelagoana. Não satisfeito, já que o Democrata seguia melhor na partida e poderia abrir o placar a qualquer momento, o Sr. Flávio Henrique marcou uma penalidade inexistente (e absurda!) do goleiro Gonçalves, que acabou expulso no lance. Aliás, em quase todas as suas partidas, o Clube tem tido, de maneira no mínimo estranha, pelo menos 1 jogador excluído.

O Jacaré, de forma guerreira, seguiu jogando bem e buscando o gol do adversário. No segundo tempo, uma penalidade deixou de ser marcada para o Democrata quando um defensor da Patrocinense, dentro da área, levou a mão em uma bola que tinha como destino o gol.

Ao final da partida, o Alvirrubro quase marcou numa cabeçada a queima roupa defendida milagrosamente pelo goleiro adversário para escanteio. O Sr. Flávio Henrique marcou o tiro esquinado, mas, novamente de maneira estranha, não permitiu que fosse feita a cobrança, encerrando a partida.

Em uma demonstração de indignação poucas vezes vista em Sete Lagoas, o trio de arbitragem saiu de campo sob protestos dos torcedores que não arredaram pé da Arena após o apito final. Para surpresa de todos, mais uma vez o Sr. Flávio Henrique Coutinho Teixeira mostrou seu caráter e desequilíbrio ao sorrir de forma irônica para os torcedores durante todo o trajeto do centro do campo à entrada dos vestiários.

A diretoria democratense lamenta profundamente o tratamento que vem sendo dado ao Clube, especialmente em relação às arbitragens, o que parece ser uma represália velada à sua justa vitória contra a FMF no Superior Tribunal de Justiça Desportiva no ano passado, culminando com seu acesso ao Módulo II. Um trabalho sério de resgate da mais representativa instituição setelagoana vem sendo minado por forças ocultas, mostrando não ser o futebol uma seara para pessoas de bem.

Por fim, a diretoria do Democrata, que tem seu mandato vencendo ao final do corrente ano, afirma aos torcedores, notadamente aqueles que sofrem a cada partida, que continuará lutando, mesmo contra essas forças ocultas, para atingir os nossos objetivos imediatos, este ano, e na sequência, no trabalho de recuperação do Democrata Futebol Clube, iniciado quando de sua posse em 2011.

Comunicação DFC – www.democratajacare.com.br

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *